Atendimento Domiciliar para reabilitação de Covid-19




Por ser uma doença que atinge diretamente o sistema respiratório, os fisioterapeutas vêm desempenhando um papel fundamental na linha de frente do combate à pandemia, seja em hospitais ou na atenção domiciliar. 

A fisioterapia nno atendimento domiciliar é caracterizada como uma assistência onde cuidados fisioterápicos são realizados na casa do paciente, permitindo uma avaliação profissional quanto a realidade e dificuldades do mesmo.

A partir dessa avaliação é elaborado um plano de assistência adequado à realidade que o paciente vive.

O fisioterapeuta vai desenvolver atividades que promovam o tratamento de doenças ou sequelas de traumatismo no sistema esquelético, sistema locomotor, do sistema respiratório, do sistema cardíaco e etc.

O objetivo é reabilitar, educar e prevenir deformidades ósseas e articulares para que o paciente possa voltar o quanto antes para suas atividades de vida diária.

O fisioterapeuta vai atender, tratar e reabilitar utilizando o espaço domiciliar do paciente, de acordo com suas necessidades e condições patológicas.

Cada paciente é um caso único e ímpar, que precisa de cuidados e adequações particulares.

Antes de dar início ao atendimento, para que sejam designadas às necessidades e possíveis adaptações domiciliares, é necessário fazer uma avaliação fisioterapêutica que inclui:

  • Exame Físico Geral – analisa o nível de consciência, estado afetivo, distúrbios de cognição e linguagem
  • Inspeção – avaliar a necessidade de sonda, presença de curativos, edemas, coloração da pele, trofismo muscular, se existem deformidades ósseas e articulares, etc.
  • Avaliação Respiratória – avaliar o tipo de tórax, ritmo respiratório, ventilação, padrão respiratório, expansibilidade, ausculta e se faz uso de ventilação mecânica
  • Palpação – engloba o tônus muscular, amplitude de movimento, força muscular, reflexos patológicos, testes de coordenação e mobilidade no leito.

A atuação da fisioterapia, no sentido de prevenção do coronavírus, também inclui a atenção à prevenção de infecção pulmonar e outras pneumopatias. A equipe trabalha com orientações entre os familiares e técnicos de enfermagem sobre a importância do distanciamento social, do uso da máscara, da higienização das mãos, entre outros.

A dificuldade para respirar (a dispneia) após pequenos esforços está entre as principais sequelas da Covid-19. Nesses casos, o paciente precisa de uma reabilitação específica para recuperar a aptidão física.

A fraqueza muscular é outra sequela importante, principalmente em internações superiores a 15 dias. Nos setores de isolamento, os pacientes não têm permissão de sair do leito e perdem a massa muscular e a motricidade. Nos casos graves, podem desenvolver polineuromiopatia, uma disfunção nos nervos periféricos que dificulta os movimentos.

A sequela pode ser causada ainda pelo uso de bloqueadores neuromusculares, medicamentos que paralisam os músculos dos pacientes em ventilação mecânica.
 
Portanto, há muitos aspectos que a Fisioterapia vai atuar na reabilitação do COVID 19. E quanto antes esse trabalho de reabilitação for feito, mais rápido o paciente terá mais e mais qualidade de vida.

0 comentários: