Como a Fisioterapia usa a Acupuntura?



A palavra acupuntura é oriunda do latim 'acus' (agulha) e 'punctura' (punção). É uma técnica que consiste na introdução de pequenas agulhas, em pontos específicos do corpo, chamados de meridianos. O conhecimento milenar da medicina chinesa permitiu que a acupuntura chegasse ao Ocidente. Aqui, a técnica ganhou nova roupagem e tem eficácia comprovada pela neurociência. Por conta da correlação entre disfunções musculoesqueléticas e alterações no sistema nervoso central (SNC), a técnica é utilizada para alívio de dores e tensões. Até agora, os resultados são positivos.

O objetivo benéfico principal da acupuntura é curar ou amenizar os sinais e sintomas da doença, equilibrar a energia dos órgãos e vísceras e promover harmonia entre mente e corpo.

Seu diagnóstico é realizado por meio de perguntas relacionadas à medicina chinesa.

Os benefícios da acupuntura, no entanto, não se resumem à analgesia. A fisioterapia utiliza o método para a funcionalidade do paciente. Além de desativar os pontos de gatilho de dor, as "agulhadas" melhoram a circulação, já que o organismo aumenta a irrigação sanguínea quando percebe um corpo estranho. Drenando a região, a acupuntura renova a atividade local, auxiliando no restabelecimento funcional.

A prática no Brasil é reconhecida como terapia desde 1995. Apesar de não ser amplamente difundida, está incorporada nas opções de tratamento do Sistema Único de Saúde (SUS) e tem sido incorporada à rotina dos consultórios de fisioterapia.

A qualificação se dá por meio de cursos de pós-graduação lato sensu. Após a formação inicial, recomenda-se a realização de prova de especialista, realizada pela Sociedade Brasileira de Fisioterapeutas Acupunturistas (Sobrafisa). A acupuntura exige estudo contínuo – eis a importância da atualização, não só em acupuntura, mas em anatomia, fisiologia e clínica fisioterapêutica. Isso é imprescindível para um profissional qualificado.

0 comentários: