Drible o estresse no ambiente de trabalho

 
Uma pesquisa da International Stress Management Association Brasil (ISMA/BR) mostra que 70% dos trabalhadores sofrem de algum nível de estresse relacionado à sua atividade profissional e, destes, 30% estão no pior nível da doença. Segundo os especialistas, a alta prevalência do problema é resultado de uma mudança profunda na configuração das empresas. 

"O que vemos, atualmente, é que um único empregado desempenha as tarefas que antes eram responsabilidade de dois ou três. Ou seja, há menos gente nas organizações, mas as tarefas continuam as mesmas. Por isso, 62% dos trabalhadores reclamam de estresse por sobrecarga de trabalho", disse Ana Maria Rossi, doutora em psicologia, especializada em estresse e presidente da ISMA/BR.

O medo da demissão, os conflitos interpessoais e o desequilíbrio entre a atividade desempenhada e a gratificação recebida por ela são outros fatores capazes de deixar os trabalhadores brasileiros em um estado de tensão constante.

O grande problema é que, sem recorrer a estratégias que ajudem a minimizar o estresse, a tendência é que o mal evolua, provocando sintomas físicos e emocionais. "Os mais comuns são tensão muscular, problemas de memória, sensação contínua de cansaço, insônia, alterações de apetite, irritabilidade e emotividade excessivas", afirmou a doutora em psicologia Maria Angélica Sadir, psicoterapeuta do Centro Psicológico de Controle do Estresse. Para piorar, as sensações de angústia, ansiedade e preocupação excessivas, desencadeadas pelo estresse, também podem levar a comportamentos de risco. "As drogas, por exemplo, costumam ser muito utilizadas como válvula de escape", disse Ana Maria.

Daí a importância de investir, o quanto antes, em atitudes capazes de aliviar a tensão permanente. Nesse sentido, uma dica dos especialistas é adotar hábitos saudáveis no dia a dia. "Se dormimos bem, evitamos os alimentos estimulantes - como os ricos em cafeína - e praticamos atividades físicas, certamente estaremos menos vulneráveis ao problema e aos comportamentos agressivos ou completamente passivos que podem resultar dele", afirmou Rossi.

Mudança de postura

No próprio ambiente de trabalho, uma mudança de postura também pode ser muito bem-vinda. "Uma das lições mais importantes, para quem quer aprender a controlar o estresse, é ser realista em relação ao tempo e às tarefas que precisa executar. Ao perceber que não conseguiremos dar conta de determinada carga de trabalho, temos três alternativas: pedir ajuda, delegar ou simplesmente dizer não e recusar mais aquela solicitação. É, antes de tudo, uma decisão individual", disse Rossi.

É claro que não é simples dizer ao seu chefe que não conseguirá entregar o relatório a tempo. Da mesma forma, não há nenhuma garantia de que o seu colega aceitará lhe ajudar, caso precise. Mas é fundamental saber se colocar, para preservar, inclusive, sua saúde física. Estabelecer limites também é uma maneira de coibir abusos futuros e de adquirir respeito no ambiente profissional.

Organize-se

Planejamento e organização também são palavras-chave no enfrentamento dos quadros de estresse. Listar todas as suas atividades e compromissos logo no início do dia, por exemplo, pode ser uma medida bastante útil. Em seguida, organize-as por ordem de importância, estabelecendo as suas prioridades. E faça o máximo para se dedicar a uma coisa por vez. Mas atenção: trabalhe com metas possíveis. Chegar ao fim do expediente sem cumprir nem metade das obrigações com as quais se comprometeu será, no mínimo, frustrante, o que pode fazer seu estresse disparar.

Pausas

Tanto no trabalho quanto em casa, permita-se fazer pequenas pausas na correria da rotina. No escritório, uma simples parada para tomar um chá olhando a paisagem na janela pode ajudar a desacelerar e, certamente, a medida não comprometerá sua produtividade.

Depois do expediente, vale buscar atividades relaxantes e que lhe deem prazer. Segundo Maria Angélica, as pessoas estão habituadas a se desconectar apenas nas férias. "Mas é preciso encontrar tempo para o lazer e para o descanso toda semana, se possível, todos os dias", disse.

Atitude positiva

Por fim, adotar uma atitude mais positiva, tolerante e confiante perante a vida é outra maneira de afastar a ameaça do estresse nocivo, que pode se manifestar até em desequilíbrios no organismo. "O mais importante para aliviar a tensão é mudar a forma de enxergar e de lidar com os problemas. Na maioria das vezes, não é a situação que nos causa estresse, é a nossa postura em relação àquele desafio que torna a realidade mais difícil. Pessoas que são muito ansiosas, críticas, que se cobram demais e que sofrem por antecipação precisarão trabalhar essas características da sua personalidade se quiserem ter uma vida mais saudável e tranquila", afirmou a psicoterapeuta Maria Angélica.
 
Fonte: Terra

1 comentários:

Oi Dani ... achei bem legal seu blog... trabalho a 8 anos com GL e agora em novembro abri minha própria empresa.
Moro em Canoinhas, Santa Catarina... quem sabe possamos trocar umas figurinhas...
Meu email é helenavcostenaro@msn.com ... também é o endereço do msn...
Criei um blog ... mas não sou blogueira, rrss, então ainda tá bem no início...tô aprendendo alidar com esta ferramenta.
Um abraço,
Helena Costenaro