Porque o RPG é eficiente


Devido à bipedia os músculos posteriores do corpo humano, da cabeça à planta dos pés (músculos da cadeia estática) são mais tônicos, mais rígidos, para manter a posição ortostática contra a força da gravidade. Mais tônicos são também os músculos suspensores dos ombros, braços, antebraços e mãos, além dos músculos responsáveis pela inspiração, mais numerosos que os da expiração.

É exatamente nisso que se baseia a R.P.G.: A atividade contínua desses músculos tônicos tende a encurtá-los, enquanto os outros grupos de músculos, como os abdominais, por ex., não participam ativamente da nossa posição ereta, não sendo solicitados e distendendo-se exageradamente. 

Flexibilizar os músculos da chamada cadeia estática, constantemente solicitados, é primordial, pois cada vez que um músculo desses se enrijece, suas extremidades se aproximam e os ossos nos quais são inseridos se deslocam. As articulações se bloqueiam e o corpo acaba por se deformar. Todos os outros músculos que se inserem sobre esse osso ficarão "desarrumados" por esse deslocamento e propagarão esse desarranjo a outros ossos e assim por diante.

O que a R.P.G. visa é o aumento da elasticidade dos músculos da estática. As posturas feitas durante o tratamento são realizados em posição de "freiar" a força da gravidade, levando-se em conta os diferentes tipos de contrações musculares. 

É um trabalho músculo-articular associado a uma conscientização corporal : sentindo e percebendo seu próprio corpo, as pessoas conseguem modificar posturas. Através da elasticidade muscular alcançada, modifica-se a estrutura óssea, restabelecendo os espaços articulares e a boa morfologia, evitando-se os bloqueios e as compensações que são as principais causas de desvios e dores.

Através desse tratamento estimulamos o Sistema Nervoso Central a "Trabalhar" numa nova imagem corporal, levando ao automatismo do novo padrão postural.

O tratamento é indicado para pacientes portadores de:

- Alterações morfológicas do esqueleto, tais como hipercifoses, hiperlordoses, escolioses, joelhos valgos ou varos, pés planos ou cavos, deformações do tórax, etc...

- Dores articulares ou musculares ( agudas ou crônicas ) decorrentes de degenerações, traumas ou reações inflamatórias, em afecções como, por ex.: artroses, entorses, hérnias de disco, bico de papagaio, ciatalgias, lesões meniscais, tendinites, bursites, etc...

- Síndromes compressivas neurovasculares.

- Disfunções respiratórias.

- Traumatismos desportivos.

- Seqüelas de traumatismos ou afecções neurológicas.

Concluindo, a R.P.G. representa um campo muito vasto dentro de uma proposta de terapia física e repercute nas esferas motora, respiratória, circulatória, digestiva e psíquica, podendo ser aplicada a qualquer indivíduo que busque o auto-conhecimento.

0 comentários: